mídia
Vacina contra dengue da Sanofi Pasteur chega às clínicas do Brasil
29 jul '16

A Sanofi Pasteur anunciou o lançamento da vacina tetravalente contra dengue no Brasil, a primeira aprovada contra a doença no mundo. A partir da semana, a vacina começa a chegar às clínicas privadas do País e estará disponível à população brasileira.

Indicada de 9 a 45 anos, a vacina contra dengue da Sanofi Pasteur protege contra os quatro sorotipos existentes da doença e deve ser administrada em três doses com intervalos de seis meses (completando um ano da primeira até a última dose). “A partir da primeira dose, porém, a vacina já oferece proteção, mas é fundamental completar o esquema para garantir que a imunização seja duradoura e equilibrada para todos os sorotipos de dengue”, explica Sheila Homsani, diretora médica da Sanofi Pasteur.

De acordo com a diretora médica, é importante lembrar que a população imunizada contra a dengue evita a transmissão da doença para outras pessoas, o que impacta na redução da incidência da dengue e no potencial de novas pessoas infectadas. “É o que chamamos de proteção indireta, capaz de quebrar a cadeia de transmissão da doença”, aponta.

Aprovada pela Anvisa no Brasil, em dezembro de 2015, a vacina chega como uma importante ferramenta de saúde pública. “É a primeira vez, em décadas, que vamos poder contar com algo além dos esforços do controle do vetor transmissor, o mosquito Aedes Aegypti”, destaca Sheila. “Por outro lado, as ações de educação e de combate ao mosquito não podem parar, a vacina vem para somar”, reforça.

A vacina vai ajudar na redução dos gastos com internações, uma vez que os estudos demonstraram redução de 81% das internações e de 93% dos casos graves. A eficácia global é de aproximadamente 66% contra os quatro sorotipos de vírus da dengue[1]. “Isso significa que em um grupo de 1 milhão de pessoas, 660 mil evitariam contrair a doença, é a prevenção de dois em cada três casos da doença”, esclarece a diretora médica da Sanofi Pasteur.

Inovação, segurança e eficácia comprovadas

Fruto de mais de duas décadas de inovação científica, a vacina contou em seu desenvolvimento com 25 estudos clínicos em 15 países em todo o mundo. Mais de 40 mil voluntários participaram do programa de pesquisa clínica (fases I, II e III), sendo que 29 mil receberam a vacina. O Brasil teve papel fundamental com a participação de investigadores locais e de mais de 3,5 mil voluntários nos estudos de eficácia (fase III).

A vacina contra dengue é pioneira do ponto de vista científico e de acesso à inovação. Tanto que a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou em abril um parecer endossando o produto. A recomendação foi emitida pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em imunização (Strategic Advisory Group of Experts, SAGE) para que a vacina seja usada em países endêmicos, como o Brasil, e faz parte de uma estratégia integrada com tais regiões, com o objetivo de atingir as metas da OMS de reduzir os casos de dengue em 25% e o número de mortes em 50% até 2020.

Levando tais necessidades em consideração, a Sanofi Pasteur desenvolveu a vacina baseada em um novo modelo de acesso à imunização, que prioriza seu lançamento em países endêmicos, tendo como foco a população que mais precisa.

Carga da dengue no Brasil e no mundo

Apesar dos esforços para reduzir a carga da dengue, uma doença imprevisível com forte impacto social, médico e econômico, o número de casos da doença continua a aumentar mundialmente. Nos últimos 50 anos, a dengue aumentou em 30 vezes e é endêmica em 128 países, segundo a OMS.

O Brasil é um dos países mais atingidos pela doença no mundo. Em 2015, de acordo com o Ministério da Saúde, o País bateu o recorde de casos: mais de 1,6 milhão[2] de brasileiros tiveram dengue, uma doença responsável por uma média de dois óbitos por dia. Os custos com a dengue podem chegar a 1,2 bilhão de dólares por ano[3], envolvendo os gastos com a doença pagos pela sociedade e os custos significativos para o governo, que chegam a 447 milhões de dólares por ano, por paciente internado.

Estudo publicado no Jornal Brasileiro de Economia da Saúde avaliou o potencial do impacto da vacinação contra dengue no Brasil. Por meio de um programa amplo de vacinação (entre 9 a 40 anos), estima-se que, em cinco anos, poderia se reduzir a incidência da dengue em até 81% no País.

Sobre a vacina

Além do Brasil, a vacina contra dengue da Sanofi Pasteur, até o momento, está também registrada no México, Filipinas, El Salvador e Costa Rica. O processo de análise regulatória da vacina contra dengue da Sanofi Pasteur continua em outros países onde a dengue é uma prioridade de saúde pública.

A vacina contra dengue da Sanofi Pasteur é o fruto de mais de duas décadas de inovação científica e de colaborações, e dos 25 estudos clínicos em 15 países em todo o mundo. Mais de 40 mil voluntários participaram do programa de estudos clínicos da vacina contra dengue da Sanofi Pasteur (fase I, II e III), sendo que 29 mil receberam a vacina.

As análises agregadas de eficácia e integradas de segurança dos estudos de eficácia de fase III de 25 meses e os estudos em andamento de longo prazo, respectivamente, foram publicadas no The New England Journal of Medicine em 27 de julho de 2015, ratificando o perfil consistente de eficácia e de segurança de longo prazo na população do estudo com idade entre 9-16 anos. Na análise combinada de eficácia neste grupo etário, a vacina contra dengue da Sanofi Pasteur demonstrou reduzir a dengue causada pelos quatro sorotipos em dois terços dos participantes e evitar 8 em 10 hospitalizações e até 93% dos casos de dengue grave.

A vacina contra dengue da Sanofi Pasteur é a primeira vacina no mundo aprovada para a prevenção da dengue. As primeiras doses da vacina foram produzidas em uma unidade fabril na França dedicada à sua produção, com capacidade produtiva em grande escala de 100 milhões de doses de vacina por ano. Em março, o Brasil recebeu a primeira remessa oficial de 500 mil doses da vacina contra dengue da Sanofi Pasteur.

Informações adicionais sobre a vacina contra dengue da Sanofi Pasteur estão disponíveis em: www.dengue.info

Fonte: Ketchum

+ MÍDIA