notícias
A saudável relação de confiança entre superior e subordinado
09 out '17

Foto: © contrastwerkstatt

Nas diversas formas de relacionamentos, a confiança entre as partes é a base para o crescimento, desenvolvimento e obtenção de bons resultados - seja na vida pessoal ou profissional, bem como para o negócio.

Sabemos que é praticamente impossível relacionar e trabalhar com quem não confiamos ou com quem não confia em nós. A relação entre superior e subordinado deve ser totalmente transparente - não deve existir gargalo na comunicação ou no exercício das tarefas delegadas e executadas, uma vez que isso pode comprometer os resultados e a interatividade entre as pessoas no execução das atividades no dia a dia da farmácia. Para atingirmos uma boa relação de confiança, é necessário que as partes tenham certa empatia intelectual e profissional - isso significa que devemos estar juntos e ligados confidencialmente e profissionalmente.

A entrega no relacionamento profissional acontece através do tempo e inicia-se no ato do processo seletivo, levando em consideração todo o histórico do profissional que está sendo contratado, além das referências que são fundamentais para formação da base de análise e tomada de decisão. Sabemos que não podemos criar expectativas nas pessoas, além da essencial integridade que norteia os princípios morais de caráter e personalidade. Mas porque criamos tantas expectativas em relação às pessoas sabendo que a natureza humana é imperfeita? O fato é que só nos relacionamos com quem confiamos, e, para que esta relação seja duradoura, é fundamental que tenhamos conhecimentos mais próximos da pessoa que estamos convivendo. Só a titulo de exemplo: na relação entre pais e filhos, a intimidade é familiar e a confiança é total, devido aos laços maternos e paternos.

Na relação de emprego, o que podemos chamar de vínculo empregatício – Empregador e Empregado - também não é diferente, uma vez que vem acompanhada do contrato de trabalho como um instrumento de garantia da dignidade humana, contribuindo para assegurar esta relação sob princípios da ética e dos valores morais - dos quais nascem os deveres e as obrigações que são explicitadas e formalizadas ordenada e juridicamente.

Devemos lembrar que, na relação de emprego, as pessoas estão totalmente ligadas, seja formal ou informalmente - mas juntas profissionalmente, com objetivos comuns alinhados aos interesses coletivos, individuais e profissionais, além dos objetivos organizacionais.

Por: Geraldo Monteiro, mestre em Administração pela Fecap e professor pós-graduação nas Faculdades Oswaldo Cruz - geraldo.monteiro25@gmail.com

+ NOTÍCIAS