notícias
Copa da Rússia 2018 - O Brasil em busca do hexa
07 jun '18

Foto: © Daniel Ernst

A busca persiste desde a Copa de 2002, quando o Brasil derrotou na final a Alemanha, por 2 a 0 – e se tornou penta. Mas, sob o comando de Tite, tudo parece indicar que o título de número 6 está a caminho – tendo a magnífica Rússia como cenário. Cinco títulos em 20 parece pouco, para o futebol dito “campeão do mundo”. Mas vamos ver por outro ângulo da matemática: vencemos 25% das Copas realizadas desde 1930.

De 1930 a 2014, a Fifa já organizou 20 Mundiais. De quatro em quatro anos, a entidade só deixou de realizar o torneio de futebol durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O Brasil, de Pelé e Garrincha, de Pelé e Tostão, Rivellino e Gérson, de Romário e Bebeto, de Ronaldo e Rivaldo, foi quem mais ergueu a taça: cinco vezes. A Alemanha, atual campeão, venceu em quatro oportunidades, assim como a Itália. O Brasil foi a seleção que esteve em mais torneios (todos), disputou mais jogos, venceu mais vezes e teve o jogador (Pelé, claro, tricampeão) com mais títulos. E os números, se já são marcantes, podem ficar ainda mais positivos para a seleção brasileira com a edição da Rússia, a 21ª da história. Afinal, as apostas esportivas do Betfair mostram o Brasil como favorito para a Copa do Mundo de 2018. Será que sai o hexa?

Uma breve história

A competição foi criada pelo francês Jules Rimet, em 1928, após ter assumido o comando da instituição mais importante do futebol mundial: a FIFA (Federation International Football Association). A primeira edição da Copa do Mundo foi realizada no Uruguai, em 1930, com a participação de apenas 13 seleções, que foram convidadas pela FIFA, sem disputa de eliminatórias, como acontece atualmente. A seleção a casa sagrou-se campeã e pôde ficar, por quatro anos, com a taça Jules Rimet.

Nas duas copas seguintes (1934 e 1938), a Itália ficou com o título. Nos anos de 1942 e 1946, a competição foi suspensa em função da Segunda Guerra Mundial. Em 1950, o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo. Os brasileiros ficaram entusiasmados e confiantes no título. A final contra o modesto Uruguai, realizada no recém-construído Maracanã teve a presença de aproximadamente 200 mil espectadores, o maior público já reunido numa competição esportiva no país. Um simples empate daria o título ao Brasil, mas a chamada “celeste olímpica uruguaia” conseguiu o que parecia impossível: venceu o Brasil por 2 a 1. O Maracanã se calou e o choro tomou conta do país do futebol.

O Brasil sentiria o gosto de erguer a taça pela primeira vez em 1958, na copa disputada na Suécia. Foi o nascimento de Pelé para a glória, aos 17 anos. Quatro anos após a conquista na Suécia, o Brasil voltou a provar o gostinho do título. Em 1962, no Chile, a seleção brasileira conquistou pela segunda vez a taça.

Em 1970, no México, o Brasil tornou-se pela terceira vez campeão do mundo ao vencer a Itália por 4 a 1. Ao tornar-se tricampeão, o Brasil ganhou o direito de ficar em definitivo com a posse da taça Jules Rimet. Após esse título, o Brasil iniciou um jejum de 24 anos sem vencer. A conquista voltou a ocorrer em 1994, na Copa do Mundo dos Estados Unidos. E em 2002, na Copa do Mundo de Japão/Coreia do Sul, o Brasil sagrou-se pentacampeão ao derrotar a seleção da Alemanha por 2 a 0. No total, o Brasil tem o melhor desempenho na história da Copa do Mundo: 104 jogos, com 71 vitórias, 16 empates e 17 derrotas.

Os artilheiros

O recorde de gols numa mesma Copa é do francês Fontaine com 13 gols marcados na Copa de 1958. Já o recorde geral da história de todas as Copas é do brasileiro Ronaldo, com 15 gols.

Os campeões de todos os tempos

Uruguai (1930) / Itália (1934) / Itália (1938) / Uruguai (1950)

Alemanha (1954) / Brasil (1958) / Brasil (1962) / Inglaterra (1966)

Brasil (1970) / Alemanha (1974) / Argentina (1978) / Itália (1982)

Argentina (1986) / Alemanha (1990) / Brasil (1994) / França (1998)

Brasil (2002) / Itália (2006) / Espanha (2010) / Alemanha (2014)

Candidato a craque na Rússia!

A nação brasileira espera que esta Copa seja a consagração de Neymar: ele pode ser o craque que fará a diferença na competição. Neymar, mais uma vez, terá grandes concorrentes, como Messi e Cristiano Ronaldo. Mas só o Brasil terá, ao lado de Neymar, a bênção de um atacante chamado Jesus...

11 sedes, 12 estádios

Ao todo, serão disputados 64 jogos nas cidades de Moscou, São Petersburgo, Samara, Kazan, Ecaterimburgo, Sochi, Kaliningrado, Saransk, Volgogrado, Rostov e Nizhny Novgorod. A capital Moscou vai receber jogos em dois estádios. As 32 seleções foram divididas em oito grupos. O Brasil está no grupo E junto com Suíça, Costa Rica e Sérvia. O primeiro jogo do Brasil será no dia 17 de junho contra a Suíça, o segundo no dia 22 de junho contra a Costa Rica e, no dia 27 de junho, fazemos o último jogo da fase de grupos contra a Sérvia.

Os dois primeiros lugares de cada grupo se classificam para a fase eliminatória, popularmente chamada de mata-mata, na qual duas equipes se enfrentam para decidir quem avança para a próxima etapa. A primeira fase eliminatória são as oitavas de final, depois vêm as quartas de final, a semifinal e, por fim, a tão esperada final, que será realizada no dia 15 de julho em Moscou.

Hexa, Brasil!

+ NOTÍCIAS