notícias
Crise? Só se for de liderança
10 out '16

Foto: © vadymvdrobot

Nos últimos tempos, só temos ouvido falar em crise.
E, obviamente, temos que admitir que vivemos momentos de grandes dificuldades em todos os setores.

O varejo farmacêutico, como sempre, é um dos últimos a sentir essas dificuldades – mas, enfim, elas chegaram também no nosso setor. Mas agora que já temos sinais claros de que o pior já passou, com certeza nosso setor estará entre os primeiros a voltar a viver tempos de bonança. E, exatamente por isso, quero ressaltar alguns pontos sobre esse periodo que acabamos de atravessar. Mesmo com a crise atingindo o setor, tivemos vários exemplos de empresas que não sentiram seus efeitos, ou, se sentiram, sofreram muito menos que as outras.

E onde está a diferença?

1 - NA LIDERANÇA!

Afirmo, sem medo de errar, que a LIDERANÇA praticada com excelência é o grande diferencial das empresas VENCEDORAS. Buscar estar à frente com novas ideais para atingir RESULTADOS EXTRAORDINÁRIOS. Procurando fazer MAIS, MELHOR, EM MENOS TEMPO E GASTANDO MENOS.

E só se consegue esses RESULTADOS EXTRAORDINÁRIOS com uma LIDERANÇA MODERNA - aplicando-se, por exemplo, o método COACHING, que é um processo específico de liderança.

E como podemos definir a LIDERANÇA com o método COACHING?

Como já escrevi m artigos anteriores, o COACHING é um processo que contribui para liberar o POTENCIAL de uma pessoa para melhorar o seu desempenho, independentemente da área de atuação dessa pessoa. É muito utilizado entre esportistas, artistas e também por grandes CEOs e empresários, como Jack Welch e Abílio Diniz, para ficar em apenas dois exemplos.

Podemos dizer, de forma mais simples, que o COACHING leva uma pessoa de um estado ATUAL para um estado DESEJADO.

O LIDER COACHING trabalha junto com o liderado ou a equipe, contribuindo, incentivando e apoiando na busca dos objetivos.

2 - NA CONSTANTE BUSCA PELO AUTODESENVOLVIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA EQUIPE.

A maioria dos empresários do setor começou de baixo e foi construindo o seu negócio com muito trabalho e sacrifício. E por isso se acostumou a fazer de tudo. Atende no balcão, cobra no caixa, faz o fechamento, faz as compras; e, quando a empresa vai crescendo, tem dificuldade de delegar. Em alguns casos por apego àquela rotina, noutros por não confiar que alguém possa fazer como ele faz. E aí não sobra tempo para fazer nada mais.

Os empresários que conseguem delegar e dedicar parte de seu tempo ao autodesenvolvimento, participando de treinamentos, workshops e cursos, e, principalmente, aplicando na sua gestão os conhecimentos adquiridos, são os que conseguem se destacar e passar incólumes pelas crises.

E é muito importante que esse desenvolvimento seja estimulado, incentivado e patrocinado a toda a equipe. Na minha experiência como palestrante e ministrante de cursos sobre gestão de drogarias e gestão de pessoas, percebo como os proprietários são resistentes a saírem de suas empresas para participar de cursos que agregarão conhecimentos que poderão ser colocados em prática imediatamente, trazendo benefícios financeiros e até pessoais, já que ensinam também a administrar melhor o tempo. E o tempo bem administrado pode ser mais bem distribuído entre trabalho, lazer e família.

E então faço este desafio: vamos falar de crise ou aplicar métodos de LIDERANÇA adequados, buscar o autodesenvolvimento, estimular e estimular nossa equipe para se desenvolver?

Como tudo na vida, é uma questão de escolha!

Por: Rui de Sá Telles
Mais informações sobre o tema: Whatsapp: 19 98237 3900 / e-mail: ruitelles@focomax.com.br

+ NOTÍCIAS