notícias
Detalhes que fazem diferença
18 abr '17

Foto: © Kadmy

Num cenário de disputa mercadológica cada vez mais acirrada, as farmácias têm que apostar em estratégias para alavancar as suas vendas, captar novos clientes e reduzir custos. Entre essas estratégias mercadológicas, as farmácias independentes podem agir de forma mais personalizada e com baixo custo, fomentando uma política de melhor atendimento, utilizando técnicas de abordagem por faixa etária, assiduidade, frequência ou volume de compras.

Investimentos em tecnologia e atualização constante de softwares, programas e capacitação de profissionais de análise de dados, além de treinamento constante de toda a equipe, são fundamentais para a implantação de um sistema de atendimento diferenciado. Mas, mais importante ainda, é a supervisão de farmacêutico que conheça profundamente os medicamentos, contraindicações, interações medicamentosas e posologia, através do relacionamento permanente com a indústria. Ele deve tomar conhecimento de todos os lançamentos, visitar fábricas, discutir tecnicamente as estratégias utilizadas para a classe médica, estudar a área geográfica de convergência da farmácia e, especialmente, a capacidade econômico-financeira da circunvizinhança e suas principais clínicas, hospitais ou consultórios.

O farmacêutico deve ser responsável direto pelo convênio-farmácia, conhecendo as patologias mais frequentes das empresas conveniadas, promovendo palestras ou promoções especiais que beneficem as empresas pelo volume de negócios ou pelo ticket médio de cada funcionário.

Por outro lado, a farmácia deve viabilizar promoções que só acontecem por via eletrônica, fazendo o consumidor se conectar online para receber benefícios especiais. Mas, para receber o produto, o ideal é que o consumidor vá à farmácia – mantendo assim um canal de comunicação direto e pessoal com sua loja.

Em que pese a revolução eletrônica, a loja física ainda é fator fundamental de diferenciação/atendimento e inovação, haja vista os grandes investimentos realizados no setor, no Brasil e em todo o mundo. O fato é que as farmácias estão se reformulando para apresentar aos consumidores um modelo mais moderno, mais prático, utilizando ferramentas de arquitetura e layout mais próximo desse “novo” consumidor, realçando a compra por impulso no setor de higiene perfumaria e beleza.

Por esses motivos, é preciso cuidar de todos os aspectos/detalhes de uma loja – que começam com letreiro e vitrine, higiene e limpeza, aparência dos funcionários, uniformização adequada e prática, posicionamento das gôndolas, espaço de circulação, a sinalização, precificação e agilidade do caixa.

Porem, é importante frisar que certas “inovações” requerem não só “olhar”, “perceber” e “entender” o comportamento humano, mas absorver/entender o corpo e a alma que são os alicerces fundamentais para tornar um negócio lucrativo e inovador.

Por: Mauro Pacanowski, Professor FGV, UFRJ e ESPM e consultor de empresas.

+ NOTÍCIAS