notícias
Endometriose
09 nov '17

Foto: © plprod

Explicando a endometriose: são fragmentos do endométrio – a parte interna do útero, responsável pela menstruação – impregnados fora do útero, ficando aderidos a tubas uterinas, ovários, bexiga, intestino e outros órgãos. Resultado: sintomas desagradáveis e infertilidade.

Estudos recentes mostram que existe uma demora de quase sete anos para que o diagnóstico de mulheres com endometriose seja confirmado. Por esse motivo, muitas campanhas vêm sendo realizadas para orientá-las a procurarem seu ginecologista assim que apresentarem os primeiros sintomas típicos da doença, como dor pélvica. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais rápido e eficiente é o tratamento. Aqui, o Dr. Alexander Kopelman, professor afiliado do Departamento de Ginecologia da Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina e responsável pelo Centro de Endometriose do Hospital Santa Catarina, tira as principais dúvidas.

1. Quais são os sintomas mais comuns?

• Cólicas menstruais
• Dor durante as relações sexuais
• Infertilidade

Nem sempre os três sintomas surgem ao mesmo tempo. Há muitas mulheres que apresentam apenas um ou dois desses sintomas.

2. De que forma a endometriose provoca infertilidade?

As lesões pélvicas relacionadas à endometriose podem distorcer a anatomia das tubas a ponto de impedir o encontro de espermatozoides com os óvulos. Além disso, estudos mostraram que a qualidade dos óvulos piora muito quando há endometriose na pelve, levando à formação de embriões com menor capacidade de implantação.

3. O exame de imagem identificou endometriose, mas não há sintomas. Precisa operar?

Muitas mulheres apresentam endometriose sem praticamente nenhum sintoma. Nesses casos, a cirurgia pode ser evitada. Vale lembrar que, mesmo na ausência de sintomas, pode acontecer progressão da doença e, por isso, tratamento e controle contínuos são fundamentais.

4. Existe cura para a endometriose?

Quando essas lesões são eliminadas, a doença na prática não existe mais. Mas quem apresenta a endometriose uma vez continuará apresentando propensão para voltar a tê-la – já que ela é resultado de aspectos genéticos. Filhas ou irmãs de mulheres com endometriose apresentam risco sete vezes maior que o da população em geral. Por isso, é importante que após término do tratamento seja feito um acompanhamento rigoroso com medicamentos adequados para alcançar a prevenção.

5. Diante do diagnóstico de endometriose qual minha chance de engravidar?

Segundo estudos, aproximadamente 50% das mulheres com diagnóstico de endometriose não apresentará problemas para engravidar. As mulheres que já estão enfrentando dificuldades para engravidar e possuem endometriose, provavelmente estão entre as que vão precisar de tratamento específico para conseguir alcançar a gravidez.

6. Alguns alimentos podem aumentam o risco de desenvolver endometriose?

A alimentação pode, sim, favorecer o surgimento e os sintomas da endometriose. As carnes vermelhas estão associadas a maior concentração de estradiol no sangue. Esse hormônio facilita a instalação e avanço da endometriose. Além disso, seu consumo contribui para a elevação dos níveis de ômega 6, que, em excesso, aumenta substâncias pró-inflamatórias, intensificando os sintomas da doença.

+ NOTÍCIAS