notícias
Gerenciamento x Liderança
03 nov '16

Foto: © WavebreakmediaMicro

Estudos demonstram que uma grande deficiência do varejo farmacêutico reside na gestão de pessoas.

Vamos falar um pouco sobre gestão de pessoas?

Aliás, sobre liderar pessoas, pois o que gerenciamos é o resultado do trabalho que elas realizam e não as pessoas. Vale ressaltar que ninguém fará um trabalho bem feito a menos que esteja feliz em fazê-lo. Portanto, cabe ao líder fazer com que as pessoas colaborem e deem o melhor de si, uma vez que elas podem optar em colaborar ou não.

É muito importante que a equipe se sinta importante e parte integrante da farmácia, pois esse sentimento irá aumentar o grau de comprometimento de cada um e sua dedicação para o sucesso da empresa.

Lidar com pessoas não é fácil, cada um de nós tem seus sentimentos, expectativas, desejos e princípios, o que exige um tratamento personalizado para cada colaborador por parte do líder. Isso exige que ele utilize todas as suas habilidades de relacionamento. Como podem ocorrer conflitos entre os membros da equipe, o líder terá de ser o apaziguador e buscar uma solução imediata do problema. Saiba que, quanto maior for a integração dos colaboradores, maior será a probabilidade de sucesso da empresa.

O líder não é imposto aos colaboradores: ele surge naturalmente e tem a missão de liderar e atender os colaboradores e o cliente externo.

Alguns itens que o líder deve cuidar em relação à equipe da farmácia:

1 - Orientação: os colaboradores precisam ser orientados de maneira correta. Necessitam obter todas as informações a respeito das tarefas pelas quais são responsáveis, além de receber a autoridade proporcional à sua responsabilidade. O líder precisa garantir que os colaboradores estejam seguros quanto às expectativas da empresa em relação ao seu trabalho.

2 - Motivação: ninguém pode ser, de fato, motivado, visto que as pessoas são automotivadas.

No entanto, como líderes, podemos criar um ambiente que favoreça a automotivação e estimule o relacionamento entre os colaboradores. É importante que o colaborador goste de trabalhar e esteja feliz com a empresa, que não seja apenas o salário o fator de permanência dele na farmácia – afinal, é impossível fazer uma gestão de engajamento em um ambiente onde você compra a permanência das pessoas.

Como estimular a motivação:

As pessoas geralmente se permitem ficar motivadas por três razões:

Realização: gostam de buscar e atingir metas. Poder: veem a maioria das situações de trabalho como uma oportunidade de influenciar outras pessoas ou assumir o controle. União: têm o desejo de estabelecer e manter relações amigáveis e calorosas com os outros.

As pessoas precisam se sentir autônomas e ter liberdade de determinar as melhores formas de fazer o que tem que ser feito: “Atender as necessidades, desejos e expectativas dos clientes, com lucratividade para a empresa, e resolver problemas”. O fato é de que as empresas conseguem atingir altos níveis de motivação de seus colaboradores quando favorecem as realizações pessoais, demonstrando reconhecimento pelos valores profissionais, oferecendo oportunidades de promoções e méritos, atribuindo novas responsabilidades a cada um, tornando o trabalho agradável, possibilitando o crescimento e o desenvolvimento do colaborador. O líder precisará constantemente manter o nível motivacional de sua equipe para que esta continue executando o trabalho de maneira a buscar a excelência.

3 - Capacitação e Evolução: os colaboradores precisam ser constantemente aprimorados, precisam se especializar tanto no sentido técnico quanto no comportamental. Por isso, o gerente precisa preocupar-se em aumentar os conhecimentos, as habilidades e as competências de seus colaboradores para que eles façam seu trabalho sempre buscando a excelência.

4 - Propósito: o propósito da empresa está relacionado ao “por que fazemos” e não “como fazemos”. A justificativa da execução do trabalho é a alma da farmácia – deve estar alinhada com a missão da empresa, ou seja, qual é a contribuição da empresa para a sociedade, por que ela existe? Esse é o fator que irá mobilizar a equipe para ter interesse em alcançar o objetivo final esperado. É papel do líder cuidar para que esse propósito esteja sempre vivo na mente dos colaboradores.

Ainda: o líder deve também ser avaliado usando como indicadores de performance o grau de desenvolvimento que as pessoas que ele lidera atingiram. E também se o cliente reconhece o benefício que está sendo oferecido pelo trabalho da equipe. Afinal, não adianta executar bem uma atividade, prestar-lhe um serviço, se o cliente não tem a percepção do benefício do produto.

Afinal, quando atingimos o objetivo e sentimos que a farmácia está se fortalecendo, está ganhando clientes e melhorando os resultados, é muito importante que o líder promova celebrações anuais ou semestrais, dependendo dos objetivos e da estrutura da empresa. As pessoas que deram o melhor de si e que apresentaram desempenho superior ao esperado devem ser destacadas e reconhecidas, pois isso irá estimulá-las a continuar se esforçando além das expectativas e, também, provocará a motivação em outros membros da equipe, a fim de que adotem a mesma postura.

Liderar, ou seja, ser um facilitador para os colaboradores dentro de uma farmácia, é fundamental para que as metas sejam atingidas de forma adequada ao planejamento realizado. Para isso, deve-se compreender e classificar as necessidades humanas dentro e fora das organizações, para que possamos auxiliar os colaboradores a atingir tanto seus objetivos pessoais quanto os da farmácia. Assim deve se investir no desenvolvimento de lideranças, além das demais atividades inerentes às drogarias e farmácias.

Gerenciar pessoas é controlar uma atividade por elas realizada; liderar é comprometer pessoas a executar um trabalho de excelência em prol da sociedade e da empresa.

Pense nisso!

Por: Juan Carlos Becerra Ligos

+ NOTÍCIAS