notícias
Independência farmacêutica
11 set '17

Foto: © HconQ - Fotolia.com

A designação da função de farmacêutico diretor técnico ou farmacêutico responsável técnico, bem como a de farmacêutico assistente técnico ou de farmacêutico substituto, estão atreladas à responsabilidade técnica dos farmacêuticos em empresas ou estabelecimentos que dispensam, comercializam, fornecem e distribuem produtos farmacêuticos, cosméticos e produtos para a saúde. Independentemente da função, a existência de uma equipe de farmacêuticos de uma farmácia divide as responsabilidades, mas as remunerações diferem apenas em relação ao tempo de casa e pelos ajustes advindos da convenção coletiva. Nem mesmo títulos de pós-graduação agregam valor ao salário atrelado ao piso.

Desde a regulamentação do exercício da profissão farmacêutica no Brasil, em 1931, temos definidas as atividades privativas dos farmacêuticos, as atribuições e as responsabilidades, mas não temos uma legislação que aprove o plano de carreira para os profissionais que atuam no varejo farmacêutico, deixando-os desmotivados e estáticos. A motivação é algo que independe de terceiros, ela é individual e pode ser dividida em motivo + ação. Ao investir em uma faculdade, cursos de pós-graduação lato e stricto senso, planeja-se obter resultados financeiros, realização profissional e pessoal – e, nesse caso. é preciso avaliar as ações necessárias para se alcançar esses objetivos.

A obrigatoriedade da presença do farmacêutico durante todo o horário de funcionamento da farmácia ou drogaria não pode limitar o profissional apenas ao cumprimento da legislação e de horário - além dos conhecimentos técnicos e científicos, exigem-se qualidades e aptidões pessoais que, se empregadas com ética, podem e devem agregar valor para si e para a empresa.

- O farmacêutico que almeja crescimento profissional não pode deixar as suas competências em estado latente - estas devem ser adaptáveis, porque fazer sempre as mesmas coisas não é garantia de se manter no emprego.

- Conhecer e acompanhar o ritmo das áreas tecnológicas, do mercado e das relações de emprego é o início para planejar as estratégias para se tornar bem-sucedido.

- O primeiro passo é administrar o tempo para a feitura das “obrigações profissionais” e mensurar o tempo disponível para outras tarefas.

- O segundo passo é identificar a possibilidade de atuar em outra função além das responsabilidades técnicas.

- O terceiro passo é verificar quais as oportunidades que se enquadram ao perfil.

- O quarto passo é expor ao proprietário o interesse de crescimento profissional dentro da empresa.

- O quinto passo é negociar remuneração.

- O sexto passo é fazer sempre o melhor.

- O sétimo passo é criar oportunidades de crescimento e melhor remuneração.

Independência farmacêutica é pensar além das leis, decretos, resoluções e portarias - é ter autonomia para atuar com responsabilidade técnica e usar os talentos para ampliar a área de atuação dentro da empresa, alcançando novos resultados.

Por: Dra. Betânia Alhan - Farmacêutica Analista de Assuntos Regulatórios
ORGANIZE FARMA CONSULTORIA & TREINAMENTOS.
Email: betaniaalhan@gmail.com - www.organizefarma.com

+ NOTÍCIAS