notícias
Mudança de rumo
02 jun '16

Imagem: © Fotolia

A Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico - ABCFARMA é uma entidade apolítica, mas mantemos com os governantes uma relação de respeito e apoio. Isso, evidentemente, não quer dizer que apoiamos ideologias extremistas. Somos defensores da democracia.

Nossos objetivos maiores são a defesa do setor de farmácias e drogarias e do segmento farmacêutico como um todo.

A ABCFARMA, através de sua diretoria, tem referendado, no Congresso Nacional, leis de âmbito federal, assim como na esfera estadual e municipal.

O setor varejista apresenta discrepâncias na apuração de sua rentabilidade, pois está dividido em diversas categorias.

As redes com grande números de lojas, empresas de grande porte, bem como aquelas representadas pelo sistema de associativismo, conseguem comprar a maioria dos medicamentos diretamente dos fabricantes.

Uma quantidade significativa de farmácias e drogarias compram de distribuidoras e negociam condições especiais de acordo com o volume de suas compras.

As demais farmácias e drogarias, geralmente de pequeno porte, são abastecidas pelas distribuidoras que, além de nada oferecerem em termos de descontos, ainda cobram despesas com emissão de boleto para pagamento.

O presidente e o presidente executivo da ABCFARMA mantêm reuniões frequentes em Brasília, principalmente na Anvisa, e também junto aos responsáveis pelo Programa Farmácia Popular, e no Congresso Nacional, sempre defendendo direitos e condições melhores para o setor - além de assessorar os parlamentares a fim de que medidas esdrúxulas não venham a penalizar as empresas do segmento.

Em passado distante e recente, o presidente Michel Temer sempre nos atendeu com atenção e presteza, dando os devidos encaminhamentos para a solução dos problemas apresentados.

O quadro político e econômico do país estava trazendo desânimo para os trabalhadores, principalmente para o grande volume de desempregados que não encontram nova colocação.

Os que, felizmente, ainda se mantêm em seus empregos estão gastando somente o necessário para manter a família. Com isso, muitos estabelecimentos do comércio e de serviços estão encerrando ou diminuindo suas atividades.

As consequências sociais lamentáveis dessa crise necessitavam mesmo de mudanças de rumo. O novo governo promete reduzir suas despesas, principalmente cortando gastos criados para atender a interesses políticos.

As mesmas mudanças foram prometidas pela administração anterior, mas sem apresentarem resultados para o país, servindo apenas para acomodar interesses políticos.

A teimosia causada por ideologias ultrapassadas, a cada dia que passava, trazia mais descrédito para o pais, em nível interno e no âmbito internacional.

Felizmente, o Congresso Nacional deu um basta na situação e, com certeza, apesar das dificuldades encontradas pelos novos administradores, esperamos dias melhores para a população, que é a alavanca propulsora do progresso do país.

+ NOTÍCIAS