notícias
Outono. As alergias estão chegando
19 abr '18

Foto: © detailblick-foto

Parece ser uma conspiração da natureza: nesta época do ano, primeiros dias de abril, já no outono, a redução da temperatura média, a baixa umidade relativa do ar e um maior nível de poluição atmosférica favorecem a ação dos vilões da temporada – aumentando a incidência de doenças respiratórias infecciosas, inflamatórias e alérgicas, sobretudo para quem já tem predisposição para elas. Como evitar? Como tratar?

Alérgicos “de plantão” já sabem que a chegada do outono significa o começo de um período com muitos espirros. Vários fatores típicos da estação acabam provocando alergias, como a asma e a rinite alérgica. O Dr. Mauro Scharf, médico endocrinologista da Unimed Laboratório, explica que as alergias são reações exageradas do sistema imunológico de pessoas predispostas, ao entrarem em contato com substâncias conhecidas como alérgenos. Problemas respiratórios podem ocorrer em qualquer época do ano, mas as características do outono e, mais intensamente, do inverno são ideais para a ação dos vilões dessas estações. A asma e a rinite alérgica são as mais comuns entre essas reações. O começo do outono, este ano, foi 20 de março – indo até 21 de junho. Dia 22 começa o inverno. Embora seja difícil eliminar completamente os agentes causadores dessas alergias, algumas ações podem ser tomadas com a aproximação do outono:

Cuidar para que os objetos de uso pessoal não acumulem ácaros e fungos.

Retirar do armário roupas pesadas e cobertas, lavá-las e colocá-las para secar no sol

Aspirar a casa ou limpar com um pano úmido todas as semanas

5 dicas para começar o ano com a saúde respiratória das crianças em dia.

Saiba porque piscina e ar-condicionado podem se tornar os vilões do nariz nesta época do ano

Com as temperaturas ainda lá em cima, mesmo no começo do outono, muitos pais acabam se preocupando menos com a saúde respiratória dos pequenos. Mas a verdade é que calor e o abafamento também trazem riscos para o nariz de crianças e adultos. Por isso, é importante manter alguns cuidados preventivos para que a família toda possa respirar melhor e viver livre de gripes, resfriados e crises alérgicas.

“O nariz é uma importante porta de entrada para fungos, bactérias e poluentes, os principais causadores de crises alérgicas e infecções das vias aéreas”, explica a otorrinolaringologista Maura Neves, do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo. Para se proteger contra esses “invasores”, a especialista destaca dicas importantes para o dia a dia.

1. Cuide do nariz todos os dias (até embaixo d’água)

Estudos comprovam que lavar a mucosa nasal com soluções salinas pelo menos duas vezes por dia reduz em até 40% a frequência de problemas respiratórios – por isso, o hábito vale para o ano todo. Nos dias mais quentes, evidentemente, os pequenos costumam ir mais às piscinas, que também podem desencadear episódios alérgicos. “O cloro presente na água atua como irritante nasal, causando crises de rinite. Assim, é bom reforçar a lavagem nasal após a brincadeira”, afirma a Dra. Maura.

2. Atenção ao ar-condicionado

Esse aliado nos dias mais quentes pode se tornar um inimigo caso não receba a manutenção correta – principalmente para as crianças de 1 a 3 anos, mais propensas a infecções respiratórias. Por isso, deve-se fazer a limpeza periódica do aparelho, para evitar a propagação de poluentes, fungos, vírus e bactérias. “Ambientes climatizados também ressecam o nariz, alterando o sistema de defesa e facilitando infecções respiratórias e crises alérgicas”, diz a médica. Nesses casos, garanta uma boa ingestão de água para compensar.

3. Lave as mãos

Embora a circulação dos vírus causadores de gripes e resfriados seja menor antes da chegada do frio, é importante incentivar a crianças a lavarem sempre as mãos o ano todo, principalmente após as brincadeiras e antes das refeições. A atenção deve ser redobrada quando se trata dos mais novos, que costumam levar as mãos e objetos à boca.

4. Vacinas em dia

Cheque se todas as imunizações da criança estão atualizadas. “Com a evolução vacinal dos últimos anos, é possível proporcionar aos pequenos uma infância mais segura e livre de infecções. Entre as principais vacinas, estão aquelas contra rotavírus, pneumococo, meningococo, hemófilos, gripe, febre amarela, tuberculose e hepatite A e B”, elenca a Dra. Maura.

5. Na volta аs aulas

O período letivo é quando as crianças estão mais propensas a infecções, principalmente as respiratórias. Por isso, garanta a lavagem nasal das crianças com soluções salinas pelo menos duas vezes ao dia, como forma de prevenção – durante o período escolar. Um check-up antes da volta às aulas é sempre bem-vindo para saber se a saúde está Ok.

Uma picada por ano.

Resfriados não são evitáveis, mas os especialistas insistem que a melhor maneira de se proteger da gripe é a vacina. Ao contrário de outras doenças infecciosas, a vacinação contra a gripe tem de ser anual, uma vez que o vírus influenza sofre pequenas mutações todos os anos.

Gripe: período de vacinação começa no dia 23

A 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza será realizada entre os dias 23 de abril e 1º de junho.

O Dia D, uma espécie de mutirão simbólico para imunizar a população, será este ano em 12 de maio. De acordo com os especialistas, o público-alvo definido pelo Ministério da Saúde abrange pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, povos indígenas, entre outros. Professores da rede pública e privada de todo o país também serão incluídos como prioritários na campanha de vacinação deste ano.

+ NOTÍCIAS