notícias
Uma nova forma de ver os negócios
03 fev '16

Imagem: © apops - Fotolia.com

Nestes tempos em que a palavra crise é repetida exaustivamente nos noticiários, geralmente apenas para ter manchetes, é preciso que paremos para refletir e nos façamos algumas perguntas: o quanto dessa crise é estrutural? Ela é verdadeira ou criada pela corrente de noticias e repetições? Realmente afeta o meu negócio?

Porque uma crise vai se tornando mais aguda e nociva quanto mais a população acredita nela e deixa de consumir por medo do futuro, medo do que virá. E quando um empresário reúne sua equipe e diz “precisamos tomar cuidado com a crise, precisamos reduzir custos; vou precisar demitir pessoas”, há um tipo de impacto. Mas o impacto pode ser totalmente diferente se esse empresário reunir sua equipe periodicamente para dizer: “Precisamos trabalhar com eficiência e eficácia; precisamos fazer mais com menos. Enfim, precisamos ser uma equipe de alta performance”.

Não estou pregando um otimismo sem análise, sem consequências, mas um posicionamento realista com otimismo, com esperança.

Algumas experiências vitoriosas mostram empresas que entenderam o chamamento do universo para um novo movimento dos negócios. As empresas precisam entender que sua função na sociedade está mudando ou, melhor dizendo, retornando a seu papel original, que é o de desenvolver e transformar o mundo, contribuindo com a sociedade, através da ética e do amor.

Olhe os negócios colocando em primeiro lugar bons valores e o bem-estar de todos – e o lucro será consequência.

Uma boa gestão se faz com bons indicadores, mas também com um olhar atento às oportunidades e, principalmente, um olhar às pessoas e ao passado, sem saudosismo, mas buscando o verdadeiro propósito de seu negócio. Propósito é mais do que a missão que você escreveu no seu planejamento. É uma ideia mestra, um conceito que resume o porquê da existência de sua empresa. É a resposta para a pergunta: se minha empresa não existisse, que falta ela faria ao mundo? Ou ao meu bairro, minha cidade – meu país, enfim.

Quando uma empresa consegue alinhar propósitos com boa gestão de negócios, e engajar sua equipe, o sucesso é questão de tempo. Uma equipe engajada com o propósito da empresa não fala de crise: cria alternativas, inventa novas maneiras de fazer as coisas.

E quando a empresa tem um propósito maior que apenas obter lucros, é muito mais fácil engajar as pessoas e o lucro será obtido como consequência. A sociedade, nesses tempos de mudanças climáticas, dificuldades com as diferenças, disputas étnicas e religiosas em várias regiões do mundo e de descrença da política, espera que o mundo corporativo, ou seja, as empresas, tomem a frente de um processo de transformação do mundo.

Empresas cujo propósito vêm ao encontro desse anseio por transformações têm conseguido melhores resultados a curto, médio e longo prazo.

O futuro das empresas está em tomar a frente e se responsabilizar por melhorar o mundo, melhorar a vida das pessoas.

Pensem quantas oportunidades de alinhamento de propósitos nosso segmento permite. Afinal, existimos para cuidar das pessoas. Oferecemos soluções para suas dores, suas doenças e muitos dos seus males.

Rui de Sá Telles
Consultor especialista em varejo farmacêutico

+ NOTÍCIAS